Gloria Groove

Gloria Groove
Nome completo Daniel Garcia Felicione Napoleão[1][2]
Nascimento 18 de janeiro de 1995 (27 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileiro
Estatura 1,72 m[3]
Ocupação
  • cantor
  • rapper
  • compositor
  • drag queen
  • dublador
  • ator
Período de atividade 2002–presente
Prêmios lista completa
Carreira musical
Gênero(s)
Extensão vocal barítono dramático
Instrumento(s) vocais
Gravadora(s) SB Music
Página oficial
gloriagroove.com.br

Daniel Garcia Felicione Napoleão (São Paulo, 18 de janeiro de 1995), mais conhecido pelo seu nome artístico Gloria Groove, é um cantor, rapper, compositor, drag queen, dublador e ator brasileiro. Iniciou sua carreira em 2002 no grupo Galera do Balão, nova versão da Turma do Balão Mágico. Em 2006, foi finalista do quadro de calouros Jovens Talentos, no Programa Raul Gil, e esteve na telenovela Bicho do Mato, na RecordTV. Na sequência, iniciou uma vasta carreira na dublagem, onde se tornou um dos principais nomes do mercado brasileiro.[5]

Em 2016, retornou à música como drag queen com a faixa "Dona", emplacando outros sucessos como "Império", "Catuaba", "Gloriosa", "Muleke Brasileiro", "Bumbum de Ouro", "Arrasta" e "Coisa Boa".[6]

Biografia

Nascido e criado na Vila Formosa, na Zona Leste de São Paulo, o artista provém de uma família humilde, tendo sido criado por sua mãe Gina Garcia com ajuda de sua avó e sua tia. A mãe e a tia se apresentavam cantando em bares, para complementar a renda familiar. Começou a trabalhar com arte em 2002, quando participou da nova formação do Balão Mágico. Em sua infância, cantava no coral da igreja, onde teve uma forte referência de soul e da black music. Isso foi determinante para saber seu estilo musical.

Carreira

Daniel é filho de Gina Garcia, backing vocal do grupo Raça Negra. Aos 6 anos, Daniel começou a fazer comerciais dos salgadinhos Elma Chips. Aos 7 anos iniciou sua carreira quando fez parte do grupo Galera do Balão, nova formação do Turma do Balão Mágico, com o qual gravou dois álbuns. Em 2006 foi um dos finalistas do quadro de calouros Jovens Talentos, no Programa Raul Gil, na Band. No mesmo ano foi indicado pelo próprio Raul Gil para um teste na telenovela Bicho do Mato, na RecordTV, onde passou para interpretar Rui de Sá Freitas, o Ruizinho, irmão da protagonista Cecília interpretada pela atriz Renata Dominguez, que sofria frieza nas mãos avó, papel de Beatriz Segall. Desde 2005 passou a trabalhar com dublagem, dando a voz em seriados como Hannah Montana, Digimon Xros Wars, Doki, Power Rangers: Megaforce, além da franquia de filmes Descendentes.[7][8] Em 2014, passou a se identificar com a cultura drag queen ao assistir o talent show RuPaul's Drag Race, no qual artistas performáticos competiam para permanecer no programa através de números interpretativos de música e dança, decidindo descobrir-se no gênero e passando a adotar o nome de Gloria Groove.[7] Em entrevista ao portal UOL, Gloria falou sobre a descoberta: "Nunca me encaixei e me enxerguei dentro do que as pessoas esperavam para mim. Quando se olha, não se sabe se é homem, mulher, meio do caminho, se chama de ele ou de ela. Ser drag me permitiu me ver pela primeira vez como artista. Ali dentro, posso explorar o que quiser".[7]

Em 2016, decidiu iniciar a carreira na música e chamou atenção com o lançamento da música "Dona". Com a repercussão, embarcou na turnê Dona Tour, que passou por vários estados do Brasil. Chegou a abrir os shows de drag queens de renome internacional, tais como Sharon Needles e Adore Delano.[9][10][11] Em 3 de fevereiro de 2017, Gloria lançou seu álbum de estreia, intitulado “O Proceder”. As letras são, em sua maioria, retratos de sua vida como gay e drag queen de periferia, trazendo um ponto de vista mais pessoal e contundente, como temas sobre seus relacionamentos, como em "Problema", ou grandes composições, como em "Proceder".[12] Imediatamente após o lançamento do álbum, a cantora embarcou na turnê O Proceder Tour. Em junho, a cantora lançou o clipe de "Gloriosa", com uma letra sobre empoderamento e autoestima, utilizada pela própria cantora para superar momentos difíceis. O clipe cor-de-rosa já acumulou 3 milhões de visualizações e a música se tornou sua segunda a ultrapassar 1 milhão de reproduções no Spotify, abrindo caminho para a diva na plataforma.

No final de 2017, Linn da Quebrada lançou o single "Necomancia", com a participação de Gloria. Ainda no final de 2017, foi lançada "Liga o Mic", uma parceria com Guigo e Murilo. Em novembro, a cantora lançou "Muleke Brasileiro", quarto e último single do seu álbum de estreia, apontada como uma das favoritas dos seus fãs. Nesse período, também foi lançado o single "Bumbum de Ouro".

Em fevereiro de 2018, Gloria lançou o clipe de "Bumbum de Ouro", sendo esse seu maior sucesso. O videoclipe, que foi um dos assuntos mais comentados no Twitter brasileiro em seu lançamento, já ultrapassou a marca de 100 milhões de visualizações no YouTube. A música ganhou ainda mais repercussão ao entrar para a trilha sonora de Malhação: Vidas Brasileiras. Em 31 de maio, com participação do baiano Léo Santana, foi lançado o hit "Arrasta", que chegou ao topo da lista Viral Brasil do Spotify. O videoclipe, lançado em 5 de junho de 2018, com direção e roteiro de Felipe Sassi, alcançou mais de 5 milhões de visualizações em menos de um mês. A música representou uma nova fase da cantora, que dialoga menos com questões sociais diretamente e mais em gravações para fazer todo mundo dançar e cantar.

Em 2019, dublou o protagonista Aladdin na refilmagem feita pela Disney, e também cantou as músicas da trilha.[8]

Vida pessoal

Gloria é casada desde 2016 com Pedro Luís.[13]

Arte e imagem pública

Usher
RuPaul
Beyoncé
Missy Elliot (esquerda), Nicki Minaj (centro) e Lil' Kim (direita) são três das principais influências da artista.

Daniel define a "Gloria Groove" como "meio arrasto, meio rapper", e as composições de Groove variam de soul, trap, R&B e funk brasileiro.[14] O cantor também é conhecido por interpretar e cantar como "rapper masculino" e "queer feminino";[14] por exemplo, o cantor faz isso nos videoclipes de "Dona", "Império",[15] "Bumbum de Ouro",[16]  e "Apaga a Luz".[14] Como uma "Queer'', efeminada, uma drag queen não-branca, a carreira de Groove como cantora é uma maneira de "usar minha própria voz para apontar o que há de errado no Brasil".[17] Desde a primeira música, "Dona", Groove mostrou esse recurso com linhas sarcásticas como "Oh meu senhor / que animal é esse? / Prazer em conhecê-lo, meu nome é arte, querida".[14]  O cantor pretende representar a comunidade LGBT: "Minha música espera significar a existência de milhares de pessoas LGBTIQ - nossa música se torna uma plataforma de amor e auto-aceitação".[14]

Groove foi influenciada pelo hip hop desde a infância; o cantor apreciava rappers do sexo masculino, tais como Usher,[18] mas a principal inspiração a cantar vem de rappers femininas, incluindo Lil' Kim, Missy Elliott, Nicki Minaj, Karol Conká, e Flora Matos.[19] No começo, Groove não pretendia ser rotulada como um "drag rapper", mas depois pensou que poderia ser algo que diferencia o trabalho do cantor. Embora O Proceder fosse considerado principalmente um trabalho de rap, ele já incluía músicas que misturam rap e pop como "Muleke Brasileiro",[18][20] também disse ser uma "música semelhante ao reggaeton." A música a seguir, "Bumbum de Ouro", foi considerada inteiramente pop com uma inspiração funk.[18][19]  O cantor fez isso conscientemente, na esperança de alcançar um público mais amplo[19] e era para ser o ponto de partida para o lançamento de um álbum pop.[18]

Groove foi descrita como "ídolo" LGBT pela mídia brasileira.[21]  A cantora foi destaque em "Rain Power", um ensaio fotográfico publicado na edição de agosto de 2017 da edição brasileira da revista Vogue.[21][22] Apesar deste rótulo, a música de Groove também tem sido popular entre o público não-LGBT.[23][14] Groove se identifica como pessoa não binária.[24]

Discografia

Ver artigo principal: Discografia de Gloria Groove

Filmografia

Cinema

Ano Título Personagem Notas Ref.
2011 Justin Bieber: Never Say Never Justin Bieber Dublagem [25]
2015 TupiniQueens Ele mesmo Documentário
Descendentes Rei Benjamin (Ben) Dublagem
2017 Descendentes 2 Dublagem
2019 Descendentes 3 Dublagem
Aladdin Aladdin Dublagem [8]

Televisão

Ano Título Personagem Notas
2005–09 As Aventuras de Doki Doki Dublagem
2006 Programa Raul Gil Participante Quadro: "Jovens Talentos"
Bicho do Mato Rui de Sá Freitas (Ruizinho)
2007–11 Hannah Montana Rico Suave Dublagem
2010–11 Digimon Xros Wars Mikey Kudo Dublagem
2013–15 Power Rangers: Megaforce Jake Holling Dublagem
2014–16 Casa do Hi-5 Ainsley Melham Dublagem
2015–17 Star vs. the Forces of Evil Justin Towers Dublagem
2016–17 Amor & Sexo Jurado Quadro: "Bishow"
2017–presente Paw Patrol Chase Dublagem
2018–20 The Hollow Kai Dublagem
2019 When They See Us Marci Wise Dublagem; Episódio "Parte 4"
2020 Élite Malick Diallo Dublagem
Nasce uma Rainha Apresentador
2021 Show dos Famosos Participante (Vencedor) Temporada 4
2022 Onda Boa com Ivete Ele mesmo Episódio: "Ivete + Gloria Groove"

Turnês

Prêmios e indicações

Bibliografia

Referências

  1. Gloria Groove no The Bate Boca - MixFm YouTube
  2. «Conheça as drag queens que participam do quadro Bishow no 'Amor & Sexo'». Gshow. 23 de janeiro de 2016. Consultado em 9 de abril de 2022 
  3. https://twitter.com/gloriagroove/status/1090828345959424001
  4. Gloria Groove: A dona da porra toda Trip. UOL HOST. Visto em 10 de maio de 2018
  5. «Gloria Groove chega metendo o salto na porta no clipe de seu primeiro single, "Dona"». Vice. 5 de fevereiro de 2016. Consultado em 21 de abril de 2017 
  6. «SB Music». SB Music. 3 de fevereiro de 2016. Consultado em 21 de abril de 2017 
  7. a b c «Gloria Groove diz que a cultura drag no Brasil ainda precisa de valorização». Portal Uai. 8 de novembro de 2016. Consultado em 21 de abril de 2017 
  8. a b c «Gloria Groove diz que dublar 'Aladdin' foi como estar em casa: 'Estou realizando um sonho'». Folha de S. Paulo. 23 de maio de 2019. Consultado em 9 de abril de 2022 
  9. https://alemdosroles.wordpress.com/2016/05/04/dona-tour-agenda-de-maio-gloria-groove/
  10. «Gloria Groove, a dona da porra toda». Revista Trip. 16 de janeiro de 2017. Consultado em 9 de abril de 2022 
  11. Marcos Antônio (12 de outubro de 2016). «Você precisa conhecer a Drag brasileira Gloria Groove e assistir "Império", seu mais novo clipe!». Pizza de Ontem. Consultado em 9 de abril de 2022 
  12. «"O Proceder": Saiba mais sobre o primeiro álbum de Gloria Groove». wallofwonders. 3 de fevereiro de 2016. Consultado em 21 de abril de 2017 
  13. Marcela Brito (7 de julho de 2021). «Gloria Groove faz linda declaração de amor ao marido». Metrópoles. Consultado em 9 de abril de 2022 
  14. a b c d e f Miranda, Beatriz (13 de novembro de 2018). «Meet The Queer Musicians Fighting For Art And Their Lives In Brazil, The World's LGBTQI Murder Capital». The Establishment (em inglês). Consultado em 22 de novembro de 2019 
  15. «"Bunda não deveria ser uma questão", diz Gloria Groove». Fora da Ordem. 8 de fevereiro de 2018. Consultado em 22 de novembro de 2019 
  16. «As drag queens cantoras que são as novas divas do Carnaval». Revista Época. 8 de fevereiro de 2018. Consultado em 9 de abril de 2022 
  17. «Inside Brazil's Drag Revolution: How New Queens Are Changing A Homophobic Culture». Billboard. Consultado em 22 de novembro de 2019 
  18. a b c d «Gloria Groove deixa rap e mergulha no pop em nova fase: 'É carnaval, época de mexer a bunda'». G1. Consultado em 22 de novembro de 2019 
  19. a b c Emannuel Bento (21 de abril de 2018). «Gloria Groove: A música LGBT tem dado passos largos em um país que anda para trás. Confira a entrevista». Diario de Pernambuco. Consultado em 9 de abril de 2022 
  20. Rubens Rodrigues (2 de março de 2018). «Faixa a faixa | Gloria Groove comenta o álbum de estreia 'O Proceder'». Fora da Ordem. Consultado em 9 de abril de 2022 
  21. a b «Gloria Groove fala sobre papel como ídolo da cena LGBTQ». Vogue. 26 de abril de 2018. Consultado em 9 de abril de 2022 
  22. «Pabllo Vittar, Liniker e artistas LGBT se unem em ensaio na Vogue Brasil». Estadão. 27 de julho de 2017. Consultado em 9 de abril de 2022 
  23. Rebeca Oliveira (8 de setembro de 2016). «Gloria Groove diz que a cultura drag no Brasil ainda precisa de valorização». Portal Uai Entretenimento. Consultado em 9 de abril de 2022 
  24. Rangel Querino (12 de julho de 2018). «"Não me sinto nem menino, nem menina", revela Gloria Groove». Observatório G. Consultado em 9 de abril de 2022 
  25. Júlia Andrade (1 de abril de 2022). «Sabia que Gloria Groove já dublou "Hannah Montana" e a voz de Justin Bieber?». Yahoo!. Consultado em 9 de abril de 2022 

Ligações externas

Em formação

O artigo Gloria Groove na Wikipedia portuguesa ocupou os seguintes lugares na classificação local de popularidade:

O conteúdo apresentado do artigo da Wikipedia foi extraído em 2022-05-23 com base em https://pt.wikipedia.org/?curid=5399288